Notícias

Após reiterado empenho no Estado, Dr. Jean Freire articula solução para problemas na BR 367 e na LMG 677 no Congresso Nacional

Após reiterado empenho no Estado, Dr. Jean Freire articula solução para problemas na BR 367 e na LMG 677 no Congresso Nacional

O deputado estadual Dr. Jean Freire participou na tarde desta terça-feira, 27, em Brasília, de uma audiência pública da Câmara dos Deputados que tratou de ações emergenciais para o asfaltamento da BR 367 e da LMG 677 — trecho de Virgem da Lapa a Ijicatu (distrito de José Gonçalves de Minas), passando por Lelivéldia (distrito de Berilo).

Esta ação é mais um dos esforços do deputado para trazer dignidade ao Vale do Jequitinhonha, sua terra Natal. “Será que se fosse no Triangulo Mineiro, no sul do Estado ou no sul do país, com todo respeito, ainda haveria uma estrada de terra que tanto traz prejuízos para a povo e para a região?”, indignou-se Dr. Jean logo no início de sua fala na reunião, requerida pelo deputado federal Zé Silva, que justificou sua ausência em função de problemas de saúde.

"Eu cresci ouvindo dizer que o DNIT foi lá e começou a fazer isso e aquilo. Tenho 44 anos e essa estrada não saiu. O povo está desacreditado. Mas não termino meu mandato sem lutar diariamente para que o Vale seja respeitado. Já foram muitas reuniões e pedidos que fiz aos órgãos competentes. E continuarei fazendo”, enfatizou Dr. Jean Freire.

Estiveram presentes ao debate o Coordenador-Geral Substituto de Manutenção e Restauração Rodoviária do DIR/DNIT; Roberto Borges, prefeito de Bandeira e Presidente da Nova Associação dos Municípios do Baixo Jequitinhonha (Nova AMBAJ), Antonio Rodrigues Diretor-Geral do Departamento de Estradas e Rodagens de Minas Gerais, e representante da Secretaria de Transportes de MG; Célio Dantas de Brito, deputados federais Raquel Muniz e Reginaldo Lopes.

Dr. Jean lembrou que, apesar de o tema ter sido discutido na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, poderia ser pauta de audiência em quase todas as comissões temáticas, devido à sua importância: “A falta de asfalto na BR e na LMG influi no turismo, ao pensarmos que a rodovia liga Diamantina a Porto Seguro. Tem a ver com direitos humanos, pois o não asfaltamento compromete o direito a ir e vir; tem a ver com a educação, na medida que afeta os estudantes do Vale; tem a ver com Justiça”, afirmou.

O parlamentar, ao enfatizar que esta é uma causa social, e não partidária, pediu empenho de todos os homens públicos do Vale. Planejada na década de 50, no Governo JK, a BR 367 foi projetada e chamada de Estrada Definitiva. A BR 367 possui 670 km, seguindo o curso do rio Jequitinhonha, passando pelos municípios de Salto da Divisa, Jacinto, Almenara, Jequitinhonha, Itaobim, Itinga, Araçuaí, Virgem da Lapa, Berilo, Chapada do Norte, Minas Novas, Turmalina, Carbonita, Couto Magalhães de Minas, Diamantina, Datas e Gouveia. Somente, em 1979, teve início a sua pavimentação.

Porém, Dr. Jean informou que “no final do governo Itamar Franco e início da gestão de Aécio Neves, o governo federal repassou verbas para obras em 121 km. Forma feitos somente 8 km e ficou por isto mesmo. Meu medo é que o nome de Estrada Definitiva tenha de definitiva é a terra, a ausência de pavimentação. Não podemos deixar isto acontecer”, afirmou Dr. Jean.

O deputado conclamou todos os homens públicos a conhecerem de perto a realidade das estradas do Vale: “O nosso querido presidente Lula — que hoje faz 70 anos — quando realizou a Caravana do Jequitinhonha, em outubro de 2005, prometeu que, assim que fosse eleito, faria uma ponte sobre o Rio Jequitinhonha, no município de Itinga. E cumpriu com sua palavra. Quem sabe se todos os políticos, de todos os partidos, passarem pela BR 367 e pelos 41 km de terra da LMG 677, não se sensibilizariam?”.

“O parlamentar precisa ser a voz da comunidade no Congresso Nacional, representar não é substituir tem que ir até a comunidade e trazer as demandas. Precisamos nos unir para dar início a essa importante obra”, disse o deputado Reginaldo Lopes.

O deputado federal Zé Silva afirmou, lembrando também a queda da ponte sobre o Rio Rubim: “O asfalto que tornaria a BR 367 trafegável com segurança, garantindo aos moradores o seu direito de ir e vir, se tornou inviável. Não sou favorável, a destruição do pouco que tinha da ponte, mas as pessoas já estão desacreditadas, afinal são mais de 60 anos a sem uma providência efetiva, uma forma de chamar atenção das autoridades”.

“A população está desacreditada, uma região isolada por falta de investimento, não podemos mais permitir que o Vale não desenvolva por falta de investimento, temos a esperança de dias melhores, queremos que o Vale desenvolva assim como as outras regiões de Minas e do Brasil”, disse o prefeito de Bandeira e Presidente da Nova Associação dos Municípios do Baixo Jequitinhonha (Nova Ambaj), Antonio.

Compromissos: BR 367  Durante audiência , o diretor de Planejamento e Pesquisa , do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Adailton Cardoso Dias, afirmou que o projeto executivo para a pavimentação da BR 367, trecho entre Almenara e Salto da Divisa, será entregue no máximo em 6 de novembro e que dependerá da licença ambiental para a publicação da portaria de aprovação.

Compromissos: Ponte sobre o Córrego Rubim — O DNIT firmou o termo cooperação com o Exército em caráter emergencial para montagem de uma ponte metálica temporária, a implantação da ponte levará cerca de 30 dias.

O projeto para a ponte definitiva está em fase final de adaptação aos padrões do DNIT, pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de Minas Gerais.

Compromissos: LMG 677 — O diretor-geral do DER, Célio Dantas, disse que o projeto base que lestá em fase de análise. O gestor afirmou que esta é uma das prioridades do Governo de Minas e que as obras têm previsão de início em 2016.

 

Clique aqui e veja a íntegra da audiência

 

Assessoria de Comunicação (com informações das assessorias dos deputados Reginaldo Lopes e Zé Silva)

 

Compartilhe

Comente