Notícias

Dr. Jean Freire visita Hospital Alberto Cavalcanti 

Dr. Jean Freire visita Hospital Alberto Cavalcanti 

Na tarde desta segunda-feira, 4, o deputado Dr. Jean Freire visitou, junto com demais membros da Comissão de Saúde da Assembleia e representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG), o Hospital Alberto Cavalcanti, em Belo Horizonte. Dentre os principais assuntos discutidos durante a visita estão a falta de diálogo da direção com os funcionários e a falta de equipamentos utilizados no tratamento oncológico. 

Segundo Maria Lúcia Barcelos, da Secretaria de Mulheres, Gênero e Raça do Sind-Saúde, o sindicato vem recebendo várias reclamações da falta de diálogo e de assédio moral por parte da direção da instituição. Para Lúcia, não há consonância entre a quantidade e as exigências da força de trabalho disponível, o que faz com que muitos profissionais tenham que se dedicar de forma exaustiva para conseguir realizar os atendimentos. Ela ainda informou que esses fatos precisam ser levados ao conhecimento do governador Fernando Pimentel e a denúncia já foi encaminhada ao Ministério Público. 

O técnico de enfermagem do Alberto Cavalcanti e representante da Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais de Minas Gerais (Asthemg), Marcelino Jonas dos Santos, disse que a principal demanda é a falta de reposição de funcionários diante da saída de alguns servidores. “Os funcionários não aguentam mais, estão adoecendo”, disse. Dr. Jean, que já havia visitado o Hospital no início do mês passado, demonstrou sua preocupação com o caso. “O Alberto Cavalcanti é uma referência no tratamento de oncologia, não há dúvidas quanto o preparo dos profissionais. Entretanto, devemos nos questionar quanto está custando pra esse profissional prestar esse serviço. Quem está cuidando dos profissionais da saúde? Nós temos que valorizá-los”, afirmou o deputado. 


Péssimas estruturas e falta de equipamentos comprometem o atendimento 

Além da falta de diálogo com a direção, outra queixa dos funcionários do Alberto Cavalcanti é quanto às péssimas condições físicas do Hospital. Segundo os servidores, é recorrente a queda de energia no prédio, fazendo com que muitas vezes tenham que trabalhar no escuro, comprometendo o atendimento. Eles  também relataram vários casos de pacientes que deveriam permanecer em isolamento e, por não haver condições, acabam em contato com outros, o que oferece risco à saúde dos mesmos. Além disso, nos dias de chuva o atendimento fica comprometido devido às várias goteiras que a estrutura apresenta. 

Um problema ainda mais sério diz respeito aos equipamentos de tratamento do câncer. De acordo com o Dr. Alberto Wainsten, chefe do setor de oncologia da instituição, o tomógrafo existente no hospital já está há aproximadamente 3 anos parado. Segundo ele, o aparelho não está sendo utilizado devido à rede elétrica, que não comporta o uso do mesmo. “Para que nós pudéssemos ligá-lo, seria necessária uma expansão da rede atual. Se não for feita rápido, o equipamento vai perder sua garantia sem nem ser utilizado”, afirmou. Além disso, a aparelhagem de radioterapia e mamografia também está parada. 

Fhemig

Segundo o diretor assistencial da instituição, Adriano Palma Pivoto, a Fhemig também não dialoga com a direção do Hospital, o que acaba gerando cada vez mais transtornos, principalmente para os pacientes. Segundo o Dr. Wainsten, a falta de recursos é um problema, mas a resolução não seria necessariamente o envio de grandes quantidades de recursos para o hospital, mas, sim, a garantia de investimento nas áreas necessárias. “Falta autonomia para nós, que estamos na ponta, para decidir onde e como investir. Um câncer não espera essas decisões burocráticas para se desenvolver”, afirmou Wainstein. 

Diante das denúncias apresentadas e das constatações da visita, Dr. Jean Freire se comprometeu a atuar no que for preciso pra resolver as questões apontadas, visando sempre a qualidade de vida dos profissionais da saúde e o melhor atendimento possível dos pacientes. 

(Assessoria de comunicação do mandato com acréscimos da ALMG / Fotos: divulgação)

Compartilhe

Comente