Notícias

Prefeitos do Vale cobram melhorias nos serviços de saúde na região

Prefeitos do Vale cobram melhorias nos serviços de saúde na região

 

No intuito de fortalecer a prestação dos serviços de Saúde no Vale do Jequitinhonha, representantes de diversos municípios e organizações se reuniram, na última sexta-feira, 26, com o Secretário de Estado de Saúde, Fausto Pereira dos Santos. Sempre atento às demandas dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, principalmente relacionadas à saúde, o deputado Dr. Jean Freire fez questão de participar do encontro, que contou com a participação dos prefeitos Harley Lopes (Virgem da Lapa), Armando Jardim Paixão (Araçuaí), Gilmar Amaral (Comercinho), Eletâncio Freire Murta (Coronel Murta), José Alves de Oliveira (Itaobim), Ademar Marcos Filho (Itinga), Márlio Geraldo Costa (Jenipapo de Minas), Cândido Ferraz (Ponto dos Volantes) e Sérgio Mendes (Francisco Badaró), que também é presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Jequitinhonha (Cismeje). Também participaram do encontro a Secretária-Executiva do Cismeje, Zuzu Loredo Rocha, e o Superintendente Regional de Saúde de Diamantina, José Roberto.

 

Para Dr. Jean, esse foi um momento muito importante para a saúde do Vale como um todo. “É uma felicidade imensa participar desse encontro. É isso que precisamos fazer sempre: somar forças em prol da melhoria do Vale”, concluiu.

 

Um dos pontos-chave da discussão foi a implantação do Centro de Especialidades Médicas (CEM), no Vale do Jequitinhonha. Para Zuzu, os representantes compreendem que há escassez de recursos atualmente: “então, é necessário levar em conta os serviços já existentes na região e aproveitá-los, sendo, portanto, a implantação do CEM apenas uma forma de incrementar e ampliar a oferta com as especialidades necessárias”. Segundo ela, o Vale espera pela implementação do serviço há muito tempo. “Nós precisamos que se instale o CEM na região urgentemente. Já são mais de 10 anos esperando por isso. Nossa região não pode deixar de ser contemplada mais uma vez”, afirmou.

Prazos e metas

Para o secretário Fausto, é necessário pensar estratégias muito específicas para a região devido a todas as suas peculiaridades. Ele ainda afirma que é preciso levar em conta duas questões muito importantes sobre a estruturação dos serviços de saúde no Vale, inclusive o CEM. Segundo ele, o primeiro ponto é o cronograma de implementação do serviço. De acordo o secretário, o objetivo é de que todos os microterritórios tenham o serviço estruturado até 2018. Para isso, é necessário fazer o máximo de implantações possíveis, que devem ser pensadas a partir da articulação de estruturas já existentes, apenas aprimorando-as, incrementando com mais especialidades e mais profissionais, dando fluxo ao serviço, e não a partir da criação de novas unidades.

 

O secretário afirmou ainda que o fato de o Vale não ter nenhum serviço de especialidade estruturado, como o de oncologia, uma das principais demandas, é um desastre. “O tratamento geralmente é longo e mexe muito com as pessoas. Além das questões físicas, há também as psicológicas”, completou. Fausto defende que se dê maior destaque à questão da oncologia para que o Vale tenha mais rapidamente o serviço mais completo possível disponível à população. E afirmou que existe uma decisão política do Estado de trabalhar a questão da estruturação do serviço de oncologia e do CEM no Vale. “É um compromisso tanto do governador Pimentel quando da Secretária de Saúde, e nós vamos fazer isso junto com vocês”, completou.

 

Péssimas condições das estradas dificultam acesso a serviços de saúde

Outra questão que foi levantada foi o quanto as péssimas condições das estradas do Vale dificultam o transporte de pacientes que realizam tratamento em outros municípios. “Geralmente são pessoas idosas ou muito debilitadas que acabam sofrendo muito transitando pelas estradas sem asfalto ou com pavimentação deteriorada”, disse o prefeito de Francisco Badaró, Sérgio Mendes. Ele ainda reiterou a necessidade de que todas as secretarias e órgãos do Governo se sensibilizem com a questão das estradas, que é de grande importância para o desenvolvimento da região.

 

Para o secretário Fausto, essa também é uma questão, de fato, relevante. “Nós não podemos discutir a implantação do CEM no Jequitinhonha sem realmente discutir a questão do transporte, que é vital para o sucesso ou insucesso na implementação de qualquer política pública. Se não trabalharmos todos os aspectos desde o diagnóstico e o fluxo de encaminhamentos dele, inclusive de retorno, faremos algo pela metade, que não gera resolutividade”, afirmou.

 

Altos custos

De acordo José Roberto, Superintendente Regional de Saúde de Diamantina, outro grande problema enfrentado na região, e que gera um desgaste muito grande, são os custos operacionais de contrato de serviço e de profissionais no Vale, que geralmente são completamente diferentes das outras regiões do Estado. Ele afirma que, devido à distância que o Vale está da região central do estado, os valores e a dificuldade de encontrar profissional são maiores, o que, de certo modo, inviabiliza a instauração de qualquer serviço mais especializado.

 

Para Mendes, é notável a carência do Vale no que diz respeito à prestação de serviços de especialidades médicas e é necessário ter um olhar diferenciado para a região. “É utopia tratar todo mundo de forma igual. Tem que tratar de forma desigual sim, por que as regiões são desiguais”, disse. O gestor de Francisco Badaró ainda reconheceu a necessidade dos gestores e representantes do Vale conhecerem a realidade da região para auxiliar o governo na orientação das políticas públicas conforme cada realidade.

 

Hospital em Itaobim

Outra questão debatida durante o encontro foi a implantação da Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Vale do Jequitinhonha (HVJ), em Itaobim. Segundo o prefeito José Alves de Oliveira, o projeto já está na fase de execução e a principal preocupação é quanto a manutenção da unidade e disse que gostaria de contar com o apoio do Estado, uma vez que o recurso destinado para o projeto não será suficiente.

 

Em resposta, Fausto afirmou que a Secretaria está a disposição do município para discutir estratégias a fim de viabilizar a UTI, principalmente levando em conta a estrutura do HVJ, que é de excelente qualidade e tem servido para atender pacientes de diversos outros municípios da região.

 

Assessoria de Comunicação do mandato

 

Fotos: divulgação

 

 

Compartilhe

Comente