Notícias

Representantes do Vale do Jequitinhonha propõem mais investimentos tecnológicos para a região durante debate sobre o PPAG

Representantes do Vale do Jequitinhonha propõem mais investimentos tecnológicos para a região durante debate sobre o PPAG

tecnológicos para a região durante debate sobre o PPAG

 

A principal proposta dos representantes do Vale foi a implantação de parques tecnológicos em cidades dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri, Rio Doce e Norte de Minas

 

Na última quinta-feira, 29 de outubro, representantes de diversas entidades civis apresentaram na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) propostas de mudanças dentro do eixo Desenvolvimento Produtivo, Científico e Tecnológico, no segundo dia de audiência pública do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 2016-2019. A reunião foi realizada conjuntamente pelas Comissões de Participação Popular e de Fiscalização Financeira e Orçamentária.

 

Todos os relatórios apresentados na reunião, que sintetizaram as sugestões, propuseram modificações nas metas físicas e financeiras, com especial ênfase a aumentos nessa última. Destaca-se alteração no programa 25, apresentada por Guilherme Gonçalves Teixeira, da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg). Foi proposto a destinação de R$ 15 milhões a cada ano, entre 2016 e 2019, para fortalecimento da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig). Um dos grupos de trabalho também propôs a inserção de uma ação no programa 184, Avança Minas. A sugestão foi apresentada por Renato de Oliveira, da Prefeitura de Governador Valadares. A nova ação incentiva a criação de centros logísticos e tecnológicos em todas as regiões de Minas Gerais. Por fim, os participantes sugeriram em conjunto a criação de um sexto eixo dentro do PPAG, além dos demais, que concentre as ações ambientais, já que essas perpassam e impactam todas as outras.

 

O secretário adjunto de Estado de Desenvolvimento Econômico, Rogério Bellini dos Santos, disse que, de tudo o que foi proposto, não haveria dificuldade, havendo parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, na instalação de novos centros tecnológicos. Sobre a questão logística, disse ser necessária uma atenção especial, para agregar valor ao parque industrial do Estado.

 

Já a subsecretária de Desenvolvimento Agrário, Fabíola Paulino da Silva, falou da importância de algumas sugestões apresentadas, que têm por objetivos a regularização fundiária, a segurança hídrica e o consumo de alimentos mais saudáveis. “Queremos construir uma pauta do PPAG baseada nas demandas de vocês”, afirmou. O secretário adjunto de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Nálton Sebastião Moreira Cruz, enfatizou que os planos da Secretaria de Meio Ambiente para os próximos quatro anos envolvem um aumento nas ações de monitoramento, proteção de áreas, fauna, flora, gestão ambiental e desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos. “Nos últimos anos ficamos marcados pela questão do licenciamento ambiental, mas queremos sair dessa atuação limitada.Trabalharemos para cuidar do meio ambiente sem deixar de aperfeiçoar o licenciamento e a fiscalização”.

 

Participantes propõem implantação de parques

tecnológicos nos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

 

Depois de uma participação efetiva no primeiro dia de reunião, os representantes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri tiveram um papel fundamental na construção das propostas desse segundo dia. As principais alterações propostas por eles foi a implantação de parques tecnológicos em Diamantina e Teófilo Otoni, vinculados à Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), em Governador Valadares com o apoio da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e em Montes Claros, com vinculação à Unimontes. É importante ressaltar que esses parques devem se voltar para a testagem e produção de novas tecnologias que estejam de acordo com a realidade e que atenda as demandas da região, promovendo assim o desenvolvimento de fato.

 

Foi proposto também a alocação de recursos a fim de discutir a viabilidade de implementar distritos industriais nas cidades de Capelinha, Araçuaí, Itaobim, Almenara e Teófilo Otoni, além do fortalecimento do distrito já existente na cidade de Turmalina, Vale do Jequitinhonha. Além disso, propuseram também a inclusão dos territórios do Vale no programa de distribuição dos kits para feiras livres, como jalecos, barracas, caixas, etc., uma das ações do programa de apoio a Agricultura Familiar, a inclusão de um projeto de estradas vicinais para os municípios do Vale do Jequitinhonha e Mucuri e a regularização fundiária rural com prioridade para os municípios do Vale além do reaproveitamento de terras devolutas, oriundas do plantio de eucalipto, para fins de reforma agrária.

 

Outro ponto muito debatido foi a diversificação da economia mineira com apoio às micro e médias empresas, especialmente nas regiões Norte e Nordeste. O turismo também foi pauta das propostas de modificação do plano. O objetivo é fortalecer os circuitos turísticos de Minas Gerais, favorecendo o Vale do Jequitinhonha, que está incluso em alguns dos circuitos mais importantes do estado, como o Circuito Vale do Jequitinhonha, o Circuito de Irapé, dos Diamantes, que engloba o território alto Jequitinhonha e o Circuito das Pedras Preciosas, que abrange o Vale do Mucuri e parte do Jequitinhonha.

 

Gestores destacam importância da agropecuária para o Estado

 

O superintendente de Desenvolvimento Agrário, Lucas Carneiro, disse que o setor rural sustenta boa parte da economia mineira enquanto o subsecretário de Tecnologia e Informação, Leonardo Dias, afirmou que, se forem retirados o faturamento com café e mineração, a economia mineira cai de 3º para 22º lugar dentre os demais estados. “Temos de diversificar nossas fontes de renda e a melhor forma de fazermos isso é por meio da tecnologia. O ambiente é favorável, a UFMG possui o maior número de patentes do país e temos seis parques tecnológicos. Iremos trabalhar para fomentar ideias e depois transformá-las em produtos”.

 

A secretária-adjunta da Secretaria de Turismo, Silvana Nascimento, disse que está em desenvolvimento parceria com o setor agrário, na criação de roteiros turísticos que potencializem os ganhos econômicos aliados à questão cultural. “Esses novos roteiros são para promover Minas e desenvolver socialmente o interior cafeicultor. É isso que buscamos. E conseguiremos por meio do turismo de experiência”.

 

PPAG – As reuniões de discussão do PPAG continuam esta semana. Nesta terça-feira (3/11), os participantes debatem o eixo Segurança Pública; na quarta (4), Saúde e Proteção Social; e na quinta (5), Educação e Cultura. O PPAG trata do planejamento de médio prazo do Estado, prevendo despesas, metas de investimentos e obras por regiões de Minas Gerais, norteando o Orçamento do Estado. Ele está contido no Projeto de Lei (PL) 2.937/15, do governador, e está estruturado nos seguintes eixos temáticos: Infraestrutura e Logística; Desenvolvimento Produtivo, Científico e Tecnológico; Segurança Pública; Saúde e Proteção Social; e Educação e Cultura.

 

Assembleia Legislativa com acréscimos da assessoria de comunicação do mandato.

 

Foto: Guilherme Bergamini/ALMG

Compartilhe

Comente